Skip to content

A tamanha idiotice dos “cig-haters”

junho 19, 2012

E aí.

Já vou deixar bem claro que eu não tou defendendo os cigarros nem os fumantes. Eu não fumo e não ligo pra quem fuma.

Então, lá estava eu rondando pela internet quando vejo esta imagem no facebookson (cujo, por coisas como essa, dentre muitos outros motivos,  eu tenho evitado entrar), postada por um ser que eu nem lembrava mais que respirava por aí:

 

“Fumar para mim é como suicídio… é a morte em antecipação”, em tradução livre.

 

E, na semana seguinte, naquele “Dia mundial sem tabaco” (ou coisa parecida), outro ser postou essa outra imagem:

Essa última carregava consigo uma mensagem parecida com essa:

“Já que não nos escutam… Se esses idiotas querem morrer, deixe que morram logo então”.

Todo mundo sabe que cigarro faz mal – até minha hamster deve saber disso. Até aí, mesmo em outros níveis, pense em tantas coisas que você faz/usa/injeta/come que fazem mal também. Sabe aquele Big Mac gordurento e nojento que tu comeu semana passada, zé? Faz mal PRA CARALHO e contribui pra entupir suas artérias de merda. Nem por isso você deixa de comer, não é? (Aliás, eu tô há dois anos sem comer no McDonalds, um viva pra mim). Ainda por cima tem gente que vem esfregar na tua cara (tipo eu, há duas linhas atrás) que faz mal, e ainda por cima te joga milhões de argumentos que tu nunca nem pediu. E isso muitas vezes dá o efeito contrário do esperado pela pessoa que está lhe criticando.

Quer um exemplo prático? Aposto que você ficou com uma vontadezinha de ir no McDonalds sujo perto da tua casa e pedir 3 Big Macs (seu gordo) ou ainda por cima pegar o telefone e pedir por delivery (muito gordo e preguiçoso ainda por cima) depois de ler aquilo aqui em cima. Ou seja, eu não só não convenci você a não comer como também te fiz ter VONTADE de comer. E isso com palavras que, em tese, eram pra fazer justamente o contrário.

Agora você deve estar pensando “Tá, e você escrever sobre isso é tão útil e relevante quanto um cara desses ficar enchendo o saco por causa de cigarro”.

Então é o momento certo de expôr meu ponto principal. Substitua o chato do facebook expondo de forma tão babaca e agressiva sua “opinião” sobre o assunto para um monte de amigos-de-facebook e troque por um pai dizendo isso pro seu respectivo filho. O discurso seria basicamente: “Filho, fumar é coisa de gente IDIOTA. Se tu fumar tu vai se ver comigo! Filho NENHUM meu vai fumar, cê tá entendendo?“. Você acha que isso vai impedir o filho de fumar algum dia? Eu não conheço uma pessoa que não tenha mais de dezenove/vinte anos que nunca experimentou UM cigarro na vida. Seja porque alguém ofereceu, seja porque os amigos o fazem, seja por curiosidade. E, nesse caso específico, o fará escondido. Fosse a abordagem outra, talvez fosse diferente.

Esse último parágrafo tá parecendo aqueles livros para pais, cujo título é geralmente um derivado mixuruca de “Entenda seu filho adolescente”.

E eu não tenho filhos e nem penso nisso, mas não é o caso de precisar ser um pai pra saber dessas coisas, só puxei o assunto pra esse lado porque é aí que a coisa realmente pega. Mas o tiozão lá do facebook pode muito bem ser pai qualquer dia desses.

Vou expor minha experiência com isso aqui. Eu fumei a primeira vez porque tava com problemas com os pais, coisas típicas de adolescentes, cujo eu, assim como muita gente faz consigo mesma ao lembrar dessas coisas, julgo babacas e muito dramáticas. Eu não o fiz pra parecer legal, nunca tive essa preocupação aí não. Fiz mesmo pra irritar ainda mais meus pais. Outra coisa de adolescente babaca, tá vendo? Sabe o que meus pais basicamente disseram quando eu contei?

“Você sabe que essa merda aí faz mal e não resolve problema nenhum. Mas você fuma se quiser.”

Nem lembro que idade que eu tinha. Acho que uns 16 pra 17. Caralho, isso acabou NUM PISCAR DE OLHOS com toda minha vontade de fumar. No dia seguinte joguei no lixo como se estivesse jogando papel de bala.

E esse é só um dos tipos de casos. Tô com preguiça de colocar tudo aqui, mas a base é mais ou menos a merma.

Pra concluir meu ponto, eu acho que esses caras querem tanto acabar com o cigarro que só o impulsionam mais. Se você é um desses, melhor repensar sua abordagem.

E se você AINDA pensa que eu estou defendendo o cigarro, saiba, DE NOVO, que é justamente o contrário. Por mim tanto faz, eu não ligo pro cheiro. E cigarro é um assunto que parece velho, antiquado, mas sempre voltamos a esse tipo de discussão e nunca se chega a lugar nenhum. “Hur, mas cigarro polui o ambiente!!!!!”, tu dirige um fusca seu filho da puta, tu polui o ambiente mais do que uma duzia de orangotangos fumantes.

E “agora” aumentou o preço do cigarro né? E meteram uma desculpa de que isso ajudaria a diminuir o número de fumantes. Dá LIMSSEMSA né. Todo mundo sabe que o viciado deixa de gastar R$ 5,00 com um lanche pra poder economizar pro seu determinado vício.

 Agora, sabe por que eu tou escrevendo isso? Seguinte, passei lá no Tumblr, a rede social mais depressiva da história das internets e postei essa imagem:

Justin Vernon

 

Essa foto é a que tá lá no last.fm, e resolvi colocar. Veio uma menina me encher o saco com aquele tal discurso “cê tá achando isso bonito? cê acha que fumar é cool?”. Claro, porque colocar uma foto em preto e branco de um cara fumando e mostrando a tatuagem é basicamente aderir ao cigarro. É como se eu estivesse fumando!

Porra. A foto é até hispterzinha demais, eu admito, mas eu ganhei uns followers por lá.

Ciao for now.

Anúncios

From → Internet, Vícios

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: